Discurso - Vereador Leonel Brizola -

Texto do Discurso

O SR. LEONEL BRIZOLA – Obrigado, Senhor Presidente, senhoras e senhores vereadores.
Sobre o discurso do vereador que me antecedeu, quem julga o juiz? Com certeza, esta é uma grande pergunta neste país.
Senhor Presidente, senhoras e senhores, viramos chacota internacional. Os responsáveis pela condução do país vivem numa realidade paralela, num mundo de inimigos imaginários e conspirações inexistentes, e tudo isso estrutura as políticas implementadas numa verdadeira disputa, numa corrida para ver quem é que vai receber o título de mais psicótico dentro desse governo.
Neste cabo de guerra macabro, quem sofre as consequências e a irresponsabilidade deste governo são os pobres. O presidente foi eleito, mas não pode fazer tudo aquilo que lhe passa na cabeça. Precisa de preparo, de estudo; o mínimo de sanidade daqueles que têm nas mãos os destinos do povo brasileiro.
Ora, os ministros foram escolhidos a dedo. O Ministro do Meio Ambiente é contra os ambientalistas; a Ministra dos Direitos Humanos é contra os direitos humanos, e o Ministro da Justiça quer
licença para matar! Isso é um circo do horror! Ou seja, o critério para ser nomeado ministro deste governo, Fernando William, é ser contra o ministério que ele vai chefiar.
A última lambança foi do Ministro da Educação e, claro, seguidor do autoproclamado filósofo Olavo de Carvalho. Aliás, um dos objetivos do atual Ministro Abraham Weintraub é materializar as ideias do Olavo de Carvalho, tal qual o seu antecessor, o Ricardo Vélez. E, por mais absurdo que possa parecer para quem tem o mínimo de bom senso – para quem tem o mínimo de bom senso, Senhor Presidente, não é? –, o Ministro da Educação pretere Paulo Freire e adota Olavo de Carvalho. Olha o tamanho absurdo! Não tem como dar certo uma aberração dessas.
Quando o Olavo de Carvalho disse que a filosofia, as ciências sociais e o direito destruíram o país, o que o Ministro da Educação fez? Cortou das ciências humanas. Depois viu a patetada que fez e ainda piorou – se é que a gente consegue piorar um governo desses: cortou 30% das verbas de todas as escolas federais. Todas as escolas, Senhor Presidente. As universidades viraram inimigas da nação, Vereador Tarcísio Motta.
É estarrecedor constatarmos que nós estamos voltando com ideias medievais. Terra plana? Quer dizer, os navegadores descobridores dos sete mares foram assassinados. O dia... Como é que se explica o dia? Deus apertou o botãozinho e o sol nasceu? Presidente Rocal, professor de física, o heliocentrismo não tem prova que o sustente. Mas como assim? E é preciso ensinar ciência por meio da Bíblia, Renato Cinco, o criacionismo: “O estado tem que deixar de ser laico, já que a maioria do povo é cristão” e por aí vai, tamanho o absurdo.
Ora, sabemos que não existe desenvolvimento econômico, tecnológico e social sem investimento nas universidades. O argumento de que temos que cortar verbas das universidades para investir no ensino fundamental, ora, além de pueril, é raso e equivocado. Quem tem essa ideia é o Olavo de Carvalho que, diga-se de passagem, só cursou até a 5ª série. Quer dizer, até a 5ª série! O corte na educação é da ordem de R$ 7 bilhões! Mais do que R$ 7 bilhões, senhoras e senhores! Isso é um crime contra as próximas gerações. Isso é fazer balbúrdia com a nossa Educação.
O Ministro Abraham Weintraub... E aí lembro o vereador aqui falando de exemplo, eu concordo com o exemplo. O Ministro da Educação em matéria de nota não é o que podemos chamar de um aluno brilhante, como ficou comprovado pelo seu boletim. Para poder cobrar, tem que dar exemplo. E, diga-se de passagem, convenhamos, o exemplo do Ministro da Educação não é dos melhores. Cortaram verba para pesquisa, para o desenvolvimento de soluções da nossa vida. Cortaram para o aumento do conhecimento, mas aumenta o investimento em uma segurança que só
traz mais insegurança ao nosso país. Os livros estão sendo substituídos pelas armas, basta ver o decreto agora, até vereador vai poder ter porte de arma. Imagina como vai ficar esta Câmara de Vereadores aí: “Não gostei do seu discurso, vereador, pá, pá, toma lá”. É o que vai acontecer!
A universidade está sendo substituída pelo massacre, estamos trocando Educação por guerra; o bom senso pela loucura e a responsabilidade pela covardia, tudo isso como pano de fundo, os valores cristãos e a defesa da família.
Ora, no quesito hipocrisia o Governo Federal é imbatível, não há maior destruição da família brasileira do que este projeto neoliberal na economia de um capitalismo selvagem, que vai precarizar o trabalho do povo, vai virar uma uberização, sem direitos sociais, sem direito à aposentadoria, que vem com essa lenga-lenga que vai ter que cortar privilégios.
Então, bota aqui quais são os privilégios, bota aqui 10 CPFs que têm privilégios que vão ser cortados. Eu desafio! Coloca aqui quem vai ter privilégios cortados neste país para ver se não vai ser o motorista de ônibus, se não vai ser o pedreiro, o trabalhador rural, ou seja, mais de 80% da classe trabalhadora brasileira.
Eu não estou vendo privilégio nenhum sendo cortado. Pelo contrário. É a manutenção e a ampliação dos privilégios neste governo. É isso que está sendo dado. Basta ver essa hipocrisia do “toma lá, dá cá” que disseram ia acabar; bilhões e bilhões e cargos aos deputados, que se venderem a este projeto nefasto, que vai destruir a nossa soberania, entregar nosso território para bases americanas e fazer o Brasil entrar na rota genocida do narcotráfico, que dizimou na Colômbia e dizima no México e vai ter o aumento das milícias, grupos paramilitares e esquadrões de extermínio.
É impossível ficarmos inertes acerca do que está acontecendo no nosso país. É impossível, senhores vereadores. Ou juntamos todas as forças que acreditam na democracia ou nós seremos dragados por este autoritarismo que, aos poucos, começa a colocar as manguinhas de fora; ou criamos um movimento que agregue todos os setores que estão contra esse projeto em curso no Brasil, criamos um movimento parecido com o “Diretas Já”, Tarcísio, Fernando William, com todos aqueles que estão contra esse projeto que vai matar a família brasileira e destruir o nosso país.
Vamos deixar de lado as nossas ideologias neste momento. Nossas ideologias que nos separam em determinados momentos têm que ficar em segundo plano porque o que está em risco no país é a própria democracia. O que está em risco no nosso país é a nossa democracia, Senhor Presidente.
Meu muito obrigado.