ORDEM DO DIA
Comunicação De Liderança



Texto da Ordem do Dia

O SR. CESAR MAIA – Muito obrigado, Senhora Presidente.
No domingo ocorreram as prévias na Argentina, que lá são como uma eleição completa, pelo fato de ser classificatória. No caso da eleição para presidente e para governador, é quase como se fosse uma eleição.
Os institutos de pesquisas todos erraram. Davam a vitória para a Chapa Fernández-Cristina Kirchner por dois, três, quatro, cinco pontos, mas nunca pelos 15 pontos que ela venceu. Hoje, pela manhã, o Presidente Macri, na Casa Rosada, reuniu a imprensa numa coletiva, fez uma autocrítica dos resultados, enfim, pediu desculpas aos seus militantes e apresentou um pacote, Senhora Presidente, de medidas econômicas. Esse pacote tem um viés keynesiano, de tentar recuperar, de alguma maneira, uma economia que vai mal, e um viés populista, também.
O pacote propõe imediato aumento do salário mínimo, propõe bônus de, mais ou menos, R$ 130,00 para trabalhadores, para militares, para servidores públicos. Propõe medidas desse tipo, como o congelamento do preço da gasolina até o final do ano.
Enfim, Senhora Presidente, eu não sei se esse é o melhor caminho. Mas gostaria de pedir a Vossa Excelência a publicação da manifestação apresentada hoje de manhã, na Casa Rosada, pelo Presidente Macri, para análise de todos nós que temos interesse na matéria.
“Após derrota em prévias e turbulência nos mercados, Macri anuncia medidas econômicas
Após a derrota sofrida nas prévias eleitorais de domingo, e de dois dias de forte turbulência nos mercados, o Presidente da Argentina, Mauricio Macri, anunciou nesta quarta-feira (14) uma série de medidas econômicas destinadas aos trabalhadores e às pequenas e médias empresas.
‘As medidas que tomei e que vou compartilhar agora são porque os escutei. Escutei o que quiseram dizer no domingo. São medidas que vão trazer alívio a 17 milhões de trabalhadores e suas famílias. E a todas as pequenas e médias empresas, que sei que estão passando por um momento de muita incerteza’ – afirmou Macri em pronunciamento.
Entre as medidas anunciadas, serão pagos bônus de até $ 2.000,00 extras aos trabalhadores entre setembro e outubro. Informais e desocupados receberão dois pagamentos extras do benefício que recebem por seus filhos. E empregados públicos e das forças armadas receberão um abono de $ 5.000,00 mil no final do mês.
‘Peso argentino abre com queda de 12,3% após Macri anunciar medidas econômicas’
Macri também anunciou que o salário mínimo será elevado, mas não informou o valor. Segundo ele, o conselho de salário será convocado nesta quarta para decidir o aumento.
Para as pequenas e médias empresas, um novo plano vai permitir o pagamento das obrigações tributárias em até 10 anos.
Além disso, o preço da gasolina será congelado por 90 dias, ‘para que ele não seja afetado pela desvalorização da moeda argentina’ – segundo Macri. A medida deve manter o preço do combustível estável até depois das eleições presidenciais do país, marcada para 27 de outubro.
'Momento difícil'
‘São medidas de alívio que tomamos neste momento difícil’ – disse Macri. O Presidente lembrou que fez várias promessas aos argentinos durante as últimas eleições, e que não pôde cumprir todas.
‘Em 2015, acreditaram que seria mais fácil, eu também acreditei. Mas o ponto de partida foi como estar no décimo subsolo’ – disse.
‘Sobre o resultado da votação, quero que saibam que eu os entendi. Saibam que respeito profundamente os argentinos que votaram em outras alternativas’ – afirmou. ‘É pura e exclusivamente responsabilidade minha’.
Turbulências
As medidas vêm depois de dois dias de forte desvalorização da moeda argentina frente ao dólar. Na segunda-feira, o peso caiu 15,27%; e na terça, mais 4,29%, encerrando a 55,9 pesos por dólar.
Os mercados financeiros também sofrem: o principal índice de ações do país registrou, na segunda, a maior queda de sua história (-37,93%), com todos os componentes no vermelho, enquanto o custo de proteção contra um calote da dívida soberana da Argentina disparou para o nível mais alto em mais de 10 anos.
O Banco Central do país vendeu um total de US$ 255 milhões de suas reservas desde segunda-feira, num esforço para ajudar a estabilizar a moeda.
‘Sim, a Argentina é uma economia pequena. No entanto, a última coisa que os mercados globais querem é que outro governo favorável ao mercado sucumba ao populismo e/ou a problemas geopolíticos’ – disse à Reuters o estrategista do Rabobank, Michael Every.
Dados da Refinitiv mostraram que os títulos, as ações e o peso da Argentina não registram o tipo de queda simultânea observada na segunda-feira desde a crise econômica de 2001”.