Discurso - Vereador Renato Cinco -

Texto do Discurso

O SR. RENATO CINCO – Boa tarde, Senhor Presidente, Vereador Rocal; senhores vereadores; senhoras vereadoras; senhores e senhoras. Hoje, independente dos resultados, será, certamente...Vou aguardar a permissão das galerias para continuar... Bom, como estava dizendo, hoje, independente dos resultados, será um dia histórico para a Cidade do Rio de Janeiro. Tudo indica que mais tarde, a partir das 16 horas, estaremos examinando um pedido de impeachment do Prefeito Marcelo Crivella, protocolado pelo Senhor Fernando Lyra Reis.
Hoje, não estaremos julgando o pedido de impeachment, estaremos avaliando se a Casa recepcionará esta denúncia e se iniciará o processo de investigação do Prefeito Marcelo Crivella pelo crime de responsabilidade, por ter prorrogado a concessão de exploração de publicidade na Cidade do Rio de Janeiro, por meio de um contrato que deveria ser extinto agora, em 2019, que estava previsto para durar 20 anos e que não há previsão de prorrogação, nem nos termos da licitação, nem no próprio contrato.
De acordo com a Constituição Federal e com as leis que regem a nossa República e o nosso município, o Prefeito Marcelo Crivellla teria cometido crime de responsabilidade, ao prorrogar esses contratos sem fazer nova licitação.
Bom, nós analisamos.
Os vereadores estão, desde ontem, se debruçando sobre esse pedido de afastamento, para responder a esta pergunta: devemos iniciar o processo de investigação sobre a atuação do Prefeito Marcelo Crivella na prorrogação desses contratos ou não?
Bom, no meu entendimento, devemos, sim, abrir o processo de investigação sobre o Prefeito Marcelo Crivella − e estamos abrindo tarde.
Já tivemos, no ano passado, duas oportunidades para abrir o processo de investigação contra o Prefeito Marcelo Crivella. Em reunião no Palácio da Cidade, ele orientou pastores evangélicos da nossa cidade a usarem...

O SR. PRESIDENTE (ROCAL) – A Presidência informa ao público nas galerias de que há um orador na Tribuna e sua fala é garantida.
Solicito, por favor, que o respeitem.

O SR. RENATO CINCO – Os gritos podem até abafar minhas palavras, mas não conseguem abafar a verdade: há muito tempo, o Prefeito Marcelo Crivella já vem cometendo crimes cidade do Rio de Janeiro. Se alguém aqui, nas galerias, acha que é normal o Prefeito oferecer furar a fila através da Márcia, eu não tenho culpa de vocês terem bandido de estimação. Eu não tenho bandido de estimação.
O Prefeito Marcelo Crivella também usou a máquina da Comlurb para fazer fraude eleitoral. Os defensores de bandido, que estão nas galerias, podem gritar à vontade. Podem defender bandido à vontade. É do direito democrático de vocês defender um prefeito que se utiliza da máquina pública para beneficiar uma igreja.
Vocês podem defender o criminoso de vocês, mas, hoje, muito provavelmente, a vontade da grande maioria da população do Rio de Janeiro vai ser contemplada e o Prefeito Marcelo Crivella começará a ser investigado pelos seus crimes.

O SR. PRESIDENTE (ROCAL) – Solicito a presença da Segurança, por favor.

O SR. RENATO CINCO – Eu quero dizer que defensores de bandidos virarem as costas para mim é um prêmio. Vocês vieram aqui defender um criminoso. Quanto mais vocês me xingarem e me vaiarem, mais honrado eu ficarei. As vaias de vocês são um prêmio para mim.
Defensores de bandidos, defendam o bandido. Renata, filme-os defendendo o bandido. Todos defensores de bandido! Podem defender! Vocês vieram defender um criminoso. Vocês não têm vergonha na cara! Vir aqui para defender o criminoso é porque vocês fazem parte da quadrilha. Trouxeram a base da quadrilha para defender o criminoso.
Com a palavra, os defensores de bandido. Defendam!

O SR. PRESIDENTE (ROCAL) – Atenção, galerias: existe um orador na Tribuna e o espaço em que vocês estão é de livre presença, mas não de manifestação durante os discursos. Solicito à Segurança que tome as medidas cabíveis.

O SR. RENATO CINCO – Eu vou continuar sem defender bandido. Vocês vieram aqui defender bandido e estão me xingando. Então, vou dizer o que vocês vieram fazer aqui: vieram defender um corrupto, um prefeito que usa a máquina pública para beneficiar a Igreja Universal, um prefeito que usa a máquina pública para disputar eleições.
Então, se vocês vieram aqui defender bandido, vocês vão ter que ouvir as pessoas aqui dizendo que vocês vieram defender bandido!
Crivella dificilmente vai escapar – apesar dos defensores de bandido que ele mobilizou – do início das investigações, hoje, nesta Câmara Municipal.
Não, eu não cometo crimes. Não sou igual ao Crivella, não estou sendo processado como ele. Não tenho folha corrida igual à dele. Nunca espanquei trabalhadores à noite como Crivella fez, quando era engenheiro, em nome da Igreja Universal, na hora de tirar trabalhadores pobres dos seus imóveis para entregar para a Igreja Universal. Não comecei hoje, nem ele; nem ele começou hoje.
Senhor Presidente, senhores vereadores, senhoras vereadoras, senhores e senhoras, povo honesto do Rio de Janeiro, estou preocupado. Quero só encerrar minha intervenção aqui dizendo que estou preocupado. Porque, semana passada, um grupo de vereadores tentou usar uma manobra para acabar com as eleições diretas este ano, caso o Prefeito Crivella seja afastado. Quero, aqui, manifestar que votarei a favor do início das investigações, mas continuarei atento para impedir que retorne a esta Casa qualquer tentativa de acabar com o direito do povo do Rio de Janeiro de escolher diretamente quem vai substituir o Prefeito corrupto, o Prefeito que utiliza a máquina pública para beneficiar a Igreja Universal, que utiliza a máquina pública para fazer campanha eleitoral para seu filho.
Este Prefeito, cujo mandato começa a acabar hoje, e que vai ser encerrado definitivamente quando as investigações chegarem ao fim, pelas nossas leis, como não há Vice-Prefeito, porque o Vice-Prefeito faleceu, tem que o alcaide ser substituído por meio de votação popular. Este é meu compromisso: lutar pelo afastamento do Prefeito – que tem que ser afastado –, e resistir contra qualquer tentativa de tirar do povo do Rio de Janeiro o direito de votar diretamente no Prefeito Crivella.
Lamento muito pela desmoralização que essas pessoas aqui nas galerias vão ter que enfrentar diante de suas famílias, de seus colegas de trabalho, por terem vindo até aqui para defender um bandido.
Parabéns, defensores de criminosos.