ORDEM DO DIA
Pela Ordem



Texto da Ordem do Dia

O SR. TARCÍSIO MOTTA – Senhor Presidente, senhores vereadores, senhoras vereadoras. Hoje, provavelmente, muitos de nós assistimos, pelos telejornais da TV Globo, às ações do “primeiro-ministro” Paulo Messina. Foi muito grave o que aconteceu hoje na Clínica da Família de Vila Kosmos. Não cabe ao Secretário da Casa Civil assediar diretores de Clínica da Família e ameaçar médicos de demissão. As OSs têm contrato com a Prefeitura, e cabe a ele zelar para que os contratos sejam cumpridos.
Em uma prática de assédio moral inaceitável na administração pública e de prática antissindical – já que vários desses profissionais estão, sim, construindo uma greve contra a OS que não paga, porque não tem o salário pago regularmente –, não cabe ao Secretário da Casa Civil deslocar-se e começar a fazer este papel de assédio moral e político desta forma. Não é este o papel de um agente público e é inaceitável.
Eu, que estive ao lado de vários desses trabalhadores no ato de ontem – e até o Ministério Público e a Defensoria Pública –, continuarei do lado daqueles que não estão recebendo.
A bancada do PSOL sempre foi crítica à questão das organizações sociais. Sempre denunciamos que era um engodo, que escoava dinheiro público e não atendia a população, mas, agora, não é possível que, diante de trabalhadores sem salários, o Secretário da Casa Civil faça esse papel antissindical e de assédio moral.
Esses servidores, que estarão agora à tarde em assembléia, decidindo pela ampliação e continuação da greve, precisam e merecem ser respeitados. Aos demais vereadores, é importantíssima a nossa presença na próxima terça-feira, às 10 horas, na audiência que vai discutir o orçamento da saúde para o próximo ano e os problemas que a nossa população está enfrentando nesse momento com o corte das equipes de Saúde da Família.
Muito obrigado, Senhor Presidente.