Discurso - Vereador Cesar Maia -

Texto do Discurso

O SR. CESAR MAIA – Senhora Presidente, senhoras e senhores vereadores, o Vereador Paulo Pinheiro citava aqui uma frase de Lênin: “A prática é o critério da verdade”. Na hora em que citou, eu me lembrei de que hoje é o dia 7 de novembro, Dia da Revolução Russa de 1917. Então, a frase foi encaixada no dia certo.

Ontem, o Doutor Paulo Guedes, em Brasília, discutindo sobre a necessidade de aprovar a reforma previdenciária, ao se dirigir aos parlamentares que terão essa obrigação agora nesse fim de ano, utilizou uma expressão grosseira, eu diria: “Prensa eles!”. Ora, ele precisa ter um assessor político, que é uma coisa conhecida nos parlamentos. Quando o Poder Executivo tem interesse em aprovar alguma coisa e demonstra esse interesse com emoção, vamos dizer, imediatamente, o custo lato sensu dessa coisa cresce.

Ontem mesmo, eu assistia à Sessão Solene dos 30 anos da Constituição Federal. Infelizmente, não pude ir, embora tenha recebido o convite aqui, o qual agradeço. Quando terminou, eu recebi um e-mail de um senador sênior que me disse isto: “Cesar, você viu o Paulo Guedes dizendo ‘Prensa eles!’? Ele está aumentando o custo da aprovação disso. Ele está dizendo que a coisa é tão importante que tem que ser aprovada de qualquer maneira. Isso tem um custo”. Enfim, vamos em frente.

Ontem, tivemos as eleições que eles chamam de meio período nos Estados Unidos, eleição completa para a Câmara de Deputados dos deputados americanos eles têm um mandato de dois anos e não querem mudar de jeito nenhum – e o voto lá é distrital – eles acham que se abrir a mais de dois anos outros podem entrar no distrito deles. Então, não querem mudar essa cláusula. Mas ontem se teve votação para o total da Câmara de Deputados, para 1/3 do Senado, os senadores lá têm seis anos de mandato e para trinta e tantos governos de estado.

E hoje de manhã estava fazendo minhas contas e, curiosamente, para a Câmara de Deputados, os Democratas ganharam e tiveram 53% dos votos. Para o Senado, os Republicanos ganharam e tiveram 53% dos votos. Nas eleições para governo de estado, os Republicanos ganharam e tiveram 53% das vitórias. É um número, uma coincidência curiosa, mas que é sempre bom registrar para aqueles que como eu dão muito valor aos números. Sobre as eleições de ontem, um texto me chamou muita atenção. E eu acho que deveria chamar a atenção de todas as que fazem política, que têm mandato, que vão disputar mandato, todas as mulheres. Diz assim.

“Segundo a CNN, Financial Times e Washington Post, ao final da apuração, mais de 100 mulheres terão sido eleitas para a Câmara de Deputados, 12 ao Senado e 9 eleitas Governadoras. O recorde anterior era de 84 mulheres na Câmara. Passou para 100 na Câmara. No Congresso, o recorde era de 107 mulheres e até o momento já são 112 eleitas. Concorreram ao Congresso neste ano 239 mulheres, sendo que 187 eram Democratas e 52 Republicanas.

É consenso que o movimento #MeToo, a retórica sexista de Trump e a confirmação de Brett Kavanaugh ao Supremo tiveram influência, assim como o crescimento de grupos como Emily’s List, que financiou com U$ 37 milhões mais de 30 candidaturas de mulheres que apoiam o direito ao aborto.

Para a professora de Ciência Política da Universidade Notre Dame, Christina Wolbrecht, "Donald Trump ajudou a redefinir que tipo de experiência se faz necessária pra ter sucesso na política", o que pode explicar o grande número de novatos eleitos, como a nova estrela Democrata e queridinha do Bernie Sanders, Alexandria Ocasio-Cortez, a mulher mais jovem a ser eleita deputada e que venceu com quase 80% dos votos.

Pode não ser uma tendência, mas vale acompanhar, principalmente dependendo de como o nosso Presidente Jair Bolsonaro vai se comportar”.

Era isso, Senhora Presidente. Muito obrigado.