Discurso - Vereador Marcello Siciliano -

Texto do Discurso

O SR. MARCELLO SICILIANO – Boa tarde, Senhor Presidente, senhoras e senhores, funcionários da Casa.
Senhor Presidente, eu serei breve. Vou só fazer um apelo – aproveitando aqui o Pequeno Expediente – ao Prefeito e à Secretária de Saúde, para darem uma atenção especial ao Hospital Lourenço Jorge, que realmente está atravessando diversas dificuldades na gestão de funcionários e médicos daquele hospital.
Trata-se de uma região que cresceu muito ao longo dos últimos anos e hoje tem uma deficiência muito grande nos centros cirúrgicos
. Estes centros já estão mais do que ultrapassados em nível de qualidade e de quantidade pelo número de atendimentos. A gente precisa urgentemente colocar um neurologista, um cirurgião especializado em cirurgias de cabeça. Tem muito acidente naquela região. É uma das vias que hoje, pelas estatísticas, tem os maiores números de acidente nos últimos anos. As pessoas estavam indo para o hospital, tendo aquela dificuldade de tomografia, tinham que ser transferidas para fazer exame no Hospital Miguel Couto e tinha que ter UTI móvel. Graças a Deus a tomografia e a ressonância foram religadas. Foi colocado um novo aparelho lá. Agora faço esse novo apelo porque realmente está muito difícil. A fila de atendimento também está muito complicada. Muitos acidentes. A coisa está feia. Então, gostaria de fazer esse pedido.
Quero reiterar também que nós fizemos vistoria em algumas escolas da região das Vargens, do Recreio e Jacarepaguá, e especialmente nas Vargens houve uma promessa da Secretaria de começar as obras. Infelizmente nada foi feito. No período de chuva, a escola tem até que suspender aulas, Senhor Presidente. Os telhados da Escola Frei Gaspar, especialmente, não suportam: choveu, paralisa tudo e as crianças têm que ir embora para casa.
Então, é muito triste no mundo de hoje a gente ver tanta violência. Eu acho que nós, como representantes da população, temos que abrir os olhos do Executivo e também dar satisfação para a população de que estamos aqui atentos e tentando lutar. Mas acredito que a gente não vai conseguir melhorar o quadro de violência desta cidade se a gente não der oportunidade para as nossas crianças. Hoje mais cedo eu tive oportunidade de estar com elas. Teve visitação de uma escola de Padre Miguel para as crianças conhecerem a Câmara, verem como é o trabalho dos vereadores, como eles votam. Fizeram uma votação simbólica do que eles queriam nas escolas, uma experiência bem bacana. Eu entrei aqui e tive a oportunidade de interagir com essas crianças. As diretoras vieram em cima de mim pedindo: “Vereador, pelo amor de Deus, a nossa quadra de esportes está toda quebrada; na sala de aula o ar-condicionado não funciona; nossas crianças não têm oportunidade de estudar com dignidade, não conseguem se concentrar; a cozinha passa por dificuldades, com azulejos caindo”. Então, a gente está na raiz, a gente está no básico. Se a gente não permitir que essas crianças tenham até vontade de ir para a escola por meio de uma condição digna de passarem a manhã, a tarde e poderem aprender de uma forma respeitosa, a gente não vai conseguir mudar essa violência da nossa cidade. Não vai mudar nunca esse quadro.
Então, faço também esse apelo para as pessoas responsáveis por todo esse processo que começou a ser feito. O Prefeito fez diversas vistorias em várias escolas da cidade. Eu estou falando aqui em especial da região que eu vistoriei junto com o Prefeito, mas eu falo de uma maneira geral porque eu acho que isso é o mínimo que a população merece, que nós que pagamos os impostos e que moramos na cidade merecemos. É o direito de ir e vir sem o pé na lama, com dignidade, com infraestrutura, com segurança de poder sair de casa e voltar. E saúde e educação. Isso é o básico.
Então, fica aqui o meu pedido. Peço com todo carinho que isso seja visto o mais rápido possível porque a gente toda hora é parado na rua e as pessoas pedem, pedem e pedem e vai chegar um momento em que eles vão ficar até desacreditados por achar que a gente não está fazendo nada. Mas infelizmente o vereador, a sua condição é fazer projeto de lei e fiscalizar o Executivo. Então, por meio da fiscalização do Executivo a gente tem oportunidade de caminhar pela cidade e ver realmente que tem muita coisa para melhorar. Graças a Deus eu tenho registrado tudo e tenho dado essa satisfação. Mas isso para mim não resolve. Eu ficaria muito feliz de poder, de certa forma, contribuir para que essa transformação aconteça, que os nossos pedidos sejam atendidos e que a gente consiga proporcionar uma qualidade de vida digna e merecida para todas as pessoas da Cidade do Rio de Janeiro.
Obrigado, Presidente.