Discurso - Vereadora Teresa Bergher -

Texto do Discurso

A SRA. TERESA BERGHER – Senhor Presidente desta Sessão, senhores vereadores e vereadoras, servidores, boa tarde a todos.
Bom, inicialmente, eu gostaria também de agradecer a todos os meus colaboradores, mas eu não vou citar nomes ou setores, porque eu não tenho uma boa memória. Possivelmente vou esquecer algum, e não quero que isso aconteça.
Quero agradecer, sim, ao meu gabinete, aos meus técnicos, à minha assessoria, imprensa, enfim, todos os funcionários que fazem parte do meu gabinete e que foram tão importantes no exercício do meu mandato em 2018.
Agradeço, também, a todos os funcionários desta Casa, de todos os setores, a todos os vereadores que colaboraram, que contribuíram com a aprovação de iniciativas vitoriosas, projetos aprovados, apoiamentos, que a gente, aqui, para fazer alguma coisa precisa de 17 assinaturas, e muitas vezes, nós, se não tivermos esse apoio, essa compreensão, esse interesse dos colegas vereadores, acabamos ficando muito tolhidos no exercício do nosso mandato.
Também deixo o meu agradecimento de coração a todos, sem exceção. Eu, hoje, fui surpreendida – e tenho que desmentir aqui – com várias pessoas me ligando, me perguntando se eu havia sido assaltada. Na verdade, foi uma notícia de dois anos atrás. Eu fui assaltada em setembro de 2016. Mas não sei o que aconteceu. Possivelmente alguém não prestou atenção na data. Agora mesmo, estava sentada ali, durante o pouco tempo que fiquei sentada no Plenário, e recebi umas quatro ligações de pessoas preocupadas com meu bem-estar. Também a todas essas pessoas o meu carinho, a minha gratidão por essa preocupação comigo.
Senhoras e senhores, hoje as minhas palavras, até iniciais, não poderiam deixar de ser direcionadas para uma grande mulher, uma mulher guerreira, uma mulher que foi exemplo de posicionamentos aqui nesta Casa: a nossa querida Marielle. O que nos deixa, a cada dia, tristes é saber que, até o presente momento, não temos a identificação dos assassinos e mandantes cruéis do assassinato da Marielle. Então, que a nossa querida companheira descanse em paz. Vejam que foi um ano muito difícil, a começar por essa grande perda para esta Casa. Foi ano difícil também na gestão, quer municipal, quer estadual. Nós tivemos um estado falido, um município totalmente abandonado pelo Poder Público.
Hoje, ao agradecer, também não poderíamos deixar de pedir a Deus que ilumine os nossos governantes e que possamos ter um ano muito melhor. Que nós, finalmente, possamos ter um pouco de paz, um pouco de segurança no nosso dia a dia – que eu acho, hoje, ser uma das questões que mais nos afligem. Que não vejamos tantas pessoas morrendo nas portas dos hospitais por falta de atendimento. Que mulheres não tenham que dar a luz na emergência de hospitais. Que Clínicas da Família não sejam fechadas. Que os nossos hospitais possam ter o recurso mínimo para atender a população e lhe dar o mínimo de dignidade. Que as nossas crianças possam ser assistidas nas escolas. Que tenhamos, sim, um ano melhor. Que Deus possa encorajar mais o nosso Prefeito, que demonstra uma apatia tão grande em governar uma cidade que é tão bonita, um município encantador e que, infelizmente, está abandonado à própria sorte.
Eu desejo a toda comunidade cristã um Feliz Natal, um ano novo – pelo calendário gregoriano –, um 2019 de prosperidade, de saúde. Que possamos aqui, nesta Casa, sermos exemplo de contribuição à nossa cidade em dignidade, em respeito, em amor ao próximo, porque eu acho que tudo na vida começa pelo respeito. Hoje, o que mais falta na nossa sociedade lamentavelmente corrompida é isso: respeito. O respeito ao próximo, à diversidade, o amor ao ser humano e ao outro irmão. Mais uma vez, um feliz ano novo a todos os companheiros e companheiras vereadoras. Que possamos em 2019, repito, contribuir mais e mais e ir de encontro àquilo que o cidadão carioca espera de nós todos.
Muito obrigado.