ORDEM DO DIA
Pela Ordem



Texto da Ordem do Dia

O SR. BABÁ – Senhora Presidente, eu queria fazer uma denúncia grave nesta Casa. Foi publicada no Diário Oficial do Município, na segunda-feira, uma modificação no orçamento aprovado por esta Casa para a Comlurb. Nos jornais, a manchete era de que o Prefeito havia injetado R$ 70 milhões na Comlurb. Pois bem, eu fui pesquisar essa mudança e, na verdade, o que vi é que o Prefeito mentiu mais uma vez.
Na verdade, o Prefeito Crivella tirou R$ 50 milhões da folha de pagamento do pessoal da Comlurb. Ele tirou R$ 50 milhões da folha de pagamento! O Prefeito pegou esse dinheiro e colocou em outras áreas, especialmente para pagamento de empresas de caminhões, que estão, na verdade, sendo questionados, porque não estão servindo para coleta de lixo. Sabem o que isso significa? Que muito provavelmente a Comlurb não terminará a implementação do plano de carreira que havia prometido fazer até o mês de agosto deste ano. Ou seja, mais um calote nos trabalhadores que eles tentam dar.
Eu gostaria de lembrar que os trabalhadores da Comlurb aguardam a atualização do plano de carreira desde 2017. A data passou para final de 2018 e, no último acordo coletivo, seria agora em agosto de 2019. Mais uma vez provavelmente não será feito! O Prefeito está mentindo mais uma vez. Com isso, a Prefeitura quer colocar para mais distante ainda o pagamento de insalubridade para APAs – que são as agentes de preparação de alimentos que trabalham nas escolas –, vigias e auxiliares de serviços gerais. Os operadores de máquinas e os artífices poderão ficar sem o realinhamento do Plano de Carreira, Cargos e Salários (PCCS).
Enquanto isso, a Comlurb piora as condições de trabalho dos seus trabalhadores. Os novos caminhões da coleta de lixo vieram sem a compactação automática. Sabem o resultado? Os garis estão carregando nos braços toneladas de lixo, de noite ou de dia, mas principalmente na parte da noite. Isso é uma covardia.
Nas cozinhas das escolas, as APAs estão sendo obrigadas a trabalhar mais e sem receber. O chamado Sábado Carioca está sendo feito obrigatoriamente para as companheiras APAs, aumentado a carga de trabalho e sem remuneração para isso. Estão modificando a jornada de trabalho dos vigias, que era de 12 por 36, para 8 horas diárias. Isso só para não pagar os domingos e feriados.
Isso é muito grave. Eu pedi uma reunião com o novo presidente da Comlurb, o Senhor Paulo Mangueira. Estou aguardando uma resposta. Gostaria que o Presidente desta Casa, que tem muita relação com ele, pudesse nos facilitar, para que essa audiência aconteça.
Mas queria dizer aos trabalhadores da Comlurb que é urgente que vocês se mobilizem. Sem a mobilização, a situação só tende a piorar. Estão atacando os direitos e condições de trabalho de vocês. Os trabalhadores da Comlurb deveriam ser valorizados e não tratados dessa forma por essa Prefeitura.
Quero encerrar dizendo que o nosso mandato estará à disposição da luta dos trabalhadores da Comlurb. Iremos estar com vocês na luta que vocês decidirem. Vocês não estão sozinhos. Esse é o momento de unificar todos os trabalhadores da Comlurb. Não é uma luta isolada dos garis ou dos APAs. Deve ser encarada como uma luta de todos os trabalhadores da Comlurb.
O Prefeito quer dividir, mas vocês têm que fazer o contrário: unificar todos os setores para que o Prefeito sinta a pressão e a força que vocês têm. Crivella tem que saber que não pode fazer o que quiser. Vai ter resistência, vai ter enfrentamento e não está descartado que se tenha greve. Ou enfrentamos e derrotamos a política do Crivella, que está desmontando a Comlurb, ou as consequências serão graves para seus trabalhadores.
Era isso aí, companheiros. Muito obrigado.

O SR. ALEXANDRE ISQUIERDO – Pela ordem, Senhora Presidente.

A SRA. PRESIDENTE (TÂNIA BASTOS) – Pela ordem, o Senhor Vereador Alexandre Isquierdo, que dispõe de três minutos.

O SR. ALEXANDRE ISQUIERDO – Senhora Presidente, senhores e senhoras vereadores. Gostaria da atenção dos senhores sobre um absurdo de um livro que está sendo comercializado na Bienal do Livro do Rio de Janeiro. É esse livro aqui: “Vingadores – A Cruzada das Crianças”. Vou repetir aqui: “Vingadores – A Cruzada das Crianças”.
Aí o autor, que é assumidamente gay, nas últimas páginas, coloca dois super-heróis se beijando e tendo relação homossexual. Ao ler esse livro... E não tem como eu externar a minha indignação contra essa covardia que estão fazendo com as nossas crianças. Quem fala aqui não é nenhum homofóbico, porque na minha biografia e na minha história não há nenhum ato contra pessoas.
Agora, não dá para admitir covardia contra as nossas crianças. Está sendo vendido o livro “A Cruzada das Crianças” na Bienal do Rio, Vereador Reimont – livro para criança. Propagação - divulgação homossexual para crianças - e os pais estão comprando, achando que é um livro infantil. Vai aqui a minha fala de repúdio. É o que eu digo: cada um faz o que bem quiser da sua vida. Se um homem quer deitar com outro homem, o problema é dele. Se uma mulher quer ter relacionamento sexual com outra mulher, o problema é dela. Agora, descer goela a baixo para as nossas crianças, isso é uma patifaria. Isso é coisa de bandido, de covarde e está sendo vendido na Bienal. Então, senhoras e senhores vereadores, estou apresentando, hoje, uma moção de repúdio às empresas Marvel, Panini e à editora Salvat por essa covardia contra as nossas crianças.
Não há nenhum ato homofóbico aqui, tão somente proteger as nossas crianças. Caso algum vereador seja favorável a esse lixo moral, não assine essa moção de repúdio. Mas se você é contra isso aqui, essa covardia, eu vou passar moção e será publicada. Obrigado, Senhor Presidente.

(Durante o discurso do Sr. Vereador Alexandre Isquierdo, assume a Presidência o Sr. Vereador Jorge Felippe, Presidente)