Discurso - Vereadora Tânia Bastos -

Texto do Discurso

A SRA. TÂNIA BASTOS – Muito boa tarde, Senhor Presidente. Obrigada, Vereador Tarcísio Motta, por sua disponibilidade.
Na verdade, estou fazendo uso desta Tribuna porque estou muito feliz. Hoje, pela manhã, estive no Comando Geral dos Fuzeileiros Navais, no centro da cidade. Lá, tive a honra de receber a Medalha de Mérito Naval pelos trabalhos relevantes que faço à Marinha do Brasil, em virtude do meu trabalho com o autismo.
Quero fazer um breve histórico, porque me sinto honrada de receber essa condecoração e, lógico, além de mim, estavam diversas pessoas, diversos oficiais, também a sociedade civil. E para mim foi uma grande honra participar desse momento que é, também, uma homenagem à Batalha do Riachuelo. Essa comemoração está sendo realizada em todo o Brasil, e eu não posso deixar de registrar nesta Casa o momento em que... Na verdade, eu representei a Câmara Municipal e os 51 vereadores.
O trabalho que realizo com os autistas não é de agora. Esse trabalho vem de muito tempo, e aqui também quero fazer um registro ao nobre colega Paulo Messina, que diversas vezes ocupou este Plenário com debates, com fóruns. Então, na verdade, nós estamos sempre tentando fazer uma coisa por essas “famílias azuis”.
Esse trabalho se iniciou dentro do corpo de Fuzileiro Naval, primeiro nos bancários, quando, por meio do Almirante Carlos Chagas, tivemos uma reunião. Ele, na oportunidade se prontificou em realizar, pelo menos uma vez por ano, um Dia de Fuzileiro Naval para as crianças e adolescentes com autismo.
Tivemos, no primeiro momento – isso, aproximadamente há dois anos –, cerca de 100 pessoas inscritas, porém a fila de espera era o dobro. E nós conseguimos, num segundo momento, no segundo ano, realizar novamente o Dia de Fuzileiro Naval na Marinha com, aproximadamente, 200 crianças e adolescentes.
Quero aqui, primeiro, parabenizar o Almirante Carlos Chagas, que iniciou esse projeto, que abraçou a causa e, por intermédio dele, todo o Brasil, hoje, realiza, todas as marinhas, todo o Comando de Fuzileiros Navais do Brasil, essa atividade com essas crianças, ou seja, tornou oficial. Hoje, o Dia de Fuzileiro Naval para as crianças e adolescente autistas tornou-se oficial! E isso, para a gente, é de extrema gratidão, é um tremendo orgulho estarmos à frente desse trabalho. Para mim, receber essa condecoração hoje foi realmente de suma importância, porque a gente vê que está no caminho certo, a gente percebe que o trabalho que se está fazendo vai muito além daquilo que esperamos.
Então, não poderia deixar, Senhor Presidente, de fazer este registro nesta Casa, porque o trabalho com os autistas é realmente gratificante. Certo dia, eu escutei de uma família que disse assim: “Não foi você, Tânia, que escolheu a causa dos autistas, mas foram os autistas que escolheram você” – e aí, eu estendo, obviamente, ao Paulo Messina, que é um grande companheiro e que também vem sempre lutando pelas políticas públicas em prol dessas pessoas.
Gente, vocês não podem mensurar a felicidade que eu estou, porque é gratificante a gente trabalhar, a gente fazer por onde e ser reconhecida, principalmente por essa instituição que é de grande importância para o nosso país, uma delas, que compõem as Forças Armadas, mas foi a Marinha do Brasil que me condecorou. Não tenho aqui palavras para expressar minha eterna gratidão, estaremos sempre lutando para que esses pais, para que essas mães, para que essas famílias tenham cada vez mais política pública e qualidade de vida.
Ver o sorriso no rosto de uma criança e de um adolescente, por ter a oportunidade de estar dentro daquela instituição, que é tão conceituada no nosso país, não tem preço; ver o sorriso no rosto de um pai, que esconde seu filho por meio daquelas pinturas – e eu lembro, aqui, o primeiro encontro que nós fizemos, onde eu fui cumprimentar um deles e brinquei falando: E aí, tudo bem, João? Como é que você está? Ele me respondeu: “Você está me vendo aqui?” E aí, lógico que eu tive rapidamente o feeling de entender que ele estava camuflado, e disse: Não, não estou te vendo. Ele respondeu: “Ah, bom, porque eu estou camuflado”. Aquilo para mim foi ótimo! A gente participa dessas ações, e é gratificante, vocês não têm noção do quanto, a cada dia, a cada momento, a cada participação que a gente tem diante e com essas pessoas – é muito gratificante.
Por isso, registro nos anais desta Casa essa condecoração de Mérito Naval que recebi hoje no Comando Geral dos Fuzileiros Navais, aqui no Centro da cidade e queria dizer muito obrigada ao Almirante Carlos Chagas e também ao Almirante Renato, que acabou de substituí-lo.
Muito obrigada por essa medalha.
O Vereador, salvo engano, Jones Moura, gostaria de aproveitar um aparte, eu ainda não encerrei, acredito que cerca de 10 minutinhos, o Vereador Jones Moura irá usar a fala, ele havia pedido. Depois? Certo.
Muito obrigada a todos, e mais uma vez agradeço à Marinha do Brasil por essa condecoração.
Obrigada, Vereador Tarcísio Motta.