Discurso - Vereador Tarcísio Motta -

Texto do Discurso

O SR. TARCÍSIO MOTTA – Senhor Presidente, senhores vereadores, trabalhadores desta Casa, aqueles que nos assistem nas galerias, ou nos assistem pela Rio TV Câmara, boa tarde.
Eu me inscrevi aqui, já aviso desde o início, na tentativa de também dar a palavra para o nobre Vereador Paulo Pinheiro e para o nobre Vereador Babá, que se inscreveram, mas não tiveram tempo para falar nesse período entre 14 horas e 15h40. Mas é claro que, rapidamente, eu queria fazer apenas um pronunciamento sobre essa situação que o Vereador Marcello Siciliano apresentou na Tribuna.
Nós, da Bancada do PSOL, amigos pessoais de Marielle Franco, com quem ela convivia, queremos também entender por que e por quem Marielle foi assassinada. Desse ponto de vista, seguimos acompanhando as investigações com toda a atenção possível e com toda a dor que isso causa a cada dia 14, mês após mês, para tentar entender por que e quem cometeu esse odioso e covarde crime.
Eu dizia, quando completou um mês do assassinato – e era procurado pela imprensa, e eles cobravam – mais do que uma resposta rápida, interessa-nos a resposta correta. Ter uma resposta rápida que não seja correta é ruim para todo mundo.
Mas a gente precisa aqui, enquanto vereadores, também começar a pensar sobre aquilo que está por trás do assassinato da Marielle. Porque, se de um lado esse assassinato é vingança política de uma cúpula que hoje está presa, nós precisamos, como parlamentares, entender quais são os mecanismos de mudança de método para acabar com a corrupção em nosso estado e em nosso país, e isso significa enfrentar a corrupção, não como uma questão moral, individual apenas, mas como uma questão estrutural.
E se, por outro lado, Marielle foi morta por ação e obra de milicianos, aqui, nós também temos que pensar que tipo de medidas, na administração da cidade e na fiscalização da administração da cidade, nós podemos tomar para enfrentar o poder das milícias no Estado do Rio de Janeiro. Nós não podemos arredar pé desse debate. Portanto, saber quem matou Marielle, por que Marielle foi morta, é fundamental. Mas isso não impede que a gente siga nas lutas das pautas que Marielle defendia, também, naquilo que está relacionado ao seu crime, seja um caminho, seja outro, qual é a atitude que a gente vai tomar.
Era isso que tinha para declarar hoje, senhores vereadores.