Discurso - Vereador Leonel Brizola -

Texto do Discurso

O SR. LEONEL BRIZOLA – Obrigado, Senhor Presidente.
Senhoras e senhores, venho a esta Tribuna para fazer uma denúncia e um comunicado gravíssimo sobre a educação no nosso município.
Quero mostrar, na verdade, que justamente esta falta de investimento da Prefeitura em educação – já é quase R$ 1 bilhão investido a menos, tomando o ano 2017 e o atual – tem criado uma situação de, praticamente, abandono das nossas escolas, de sucateamento da rede, com dificuldade de trabalho para os profissionais de educação exercerem o seu trabalho e, mais ainda: de aprendizagem por parte dos nossos estudantes.
Semana passada, esta Casa fez um debate caloroso sobre, inclusive, a questão dessa cena horrível que houve em São Paulo, e alguns vereadores sugeriram mais armas, mais policiamento dentro da escola. Houve, aqui, uma opinião divergente de que o fato é que a escola precisa justamente de professores mais bem pagos; de profissionais da saúde que possam atender às nossas crianças; de porteiros, porque as escolas não têm porteiros. Naquele momento da discussão, um vereador, defensor do armamento, veio aqui dizer: “Não, nada disso! A escola já tem tudo isso!” – foi o Vereador Jones Moura.
Caro Vereador Jones Moura, eu sei que o senhor está me escutando do seu gabinete. Se o senhor puder descer para travar este debate, eu vou mostrar que o senhor desconhece totalmente a realidade das nossas escolas.
Senhor Presidente, eu recebi a carta de um pai e de uma mãe, agora, sobre o Ciep Ministro Gustavo Capanema, na Maré. Não tem merenda! As crianças estão sendo mandadas embora para casa às 11 horas da manhã. E os professores, para fazerem horário, vão para a CRE. O teto da cozinha caiu com a chuva. Está assim, desde a época da chuva. Não há como guardar alimento. E a Prefeitura nada faz! Acabou de ter uma reunião da direção do Ciep com os pais e alunos, dizendo que as aulas vão se encerrar às 11 horas, porque não tem merenda.
Eu fiz essa denúncia do Ciep aqui, embora a diretora que lá estava tenha me recebido com nenhuma urbanidade. Fez descaso, inclusive, dizendo que não havia problema algum naquele Ciep. E eu fiz uma visita em toda a rede. Inclusive, na Escola Municipal Josué de Castro, fiz uma comparação com o mapa, com a “Geografia da Fome”, obra desse grande escritor, dizendo que lá, também, não tinha merenda e tinha salas fechadas.
Pois bem, apresentei uma emenda ao orçamento do ano passado, emenda aditiva, para o Ciep Ministro Gustavo Capanema, no valor de
R$ 150 mil; emenda essa que foi rejeitada aqui dentro, como são rejeitadas todas as nossas emendas ao orçamento! Quem é da oposição ao governo não consegue, sequer, aprovar uma emenda ou algo parecido. Fiz tanto para esse quanto para o Josué de Castro. E qual é o resultado hoje? O Ciep está sem merenda! As crianças entram às 9 horas e às 11 horas já estão em casa. Esse é o problema da educação.
A população, o Senhor que é um professor, Rocal, profundo conhecedor também da Rede, a população vê as crianças indo para a escola; a população vê a escola materializada no concreto. Então, de primeira hora, a educação não parece um grande problema do agora, em comparação com a saúde, que a dor é agora e eu preciso resolver agora. Mas ela está em estado gravíssimo! E não há dentro da Prefeitura uma política que vá apontar o norte, como sanar esse sucateamento de toda a Rede. Não há!
O Prefeito Crivella já mudou de Secretário como quem muda de blusa. Um total desrespeito aos profissionais da educação, aos estudantes do Rio de Janeiro. Porque você tem que desenvolver o projeto educacional quando você adentra a Prefeitura. Não dá para, de dois em dois anos, você mudar a política educacional e querer implementar algo. Não dá certo!
E o resultado está aqui, comprovado, materializado e documentado dentro desta Casa. O descaso da Secretaria de Educação, o descaso do Senhor Messina, que era vereador desta Casa, embora empresário, e dizia querer trabalhar com a educação. Nunca entendi essa vocação do empresariado de querer trabalhar com a escola pública, me cheira mal esse interesse. E nada fez! Alertado, nada fez também! Que crime é esse? Tenho certeza de que a Secretária de Educação almoça todo dia.
O Senhor sabe, Vereador, que às vezes essa merenda que, na verdade, é um almoço, na maioria das vezes, é o maior complemento nutricional que aquela criança vai ter o dia inteiro. O Senhor conhece a realidade, a dura realidade do chão da escola. E aí eu me deparo com o anúncio da direção daquela escola dizendo que não tem possibilidade de resolver...! Ora, troca-se a diretora, então. Que resolva! Não pode ficar é sem merenda!
O Prefeito fica sem almoço, Prefeito? Messina, neste exato momento, Messina, o Senhor está almoçando, ou vai almoçar mais tarde? Como é que é isso?
A criança sem barriga cheia não aprende, não ouve. Raciocínio é reação química. O Senhor é professor de Física, não é verdade? O Senhor sabe que é uma reação química. Reação química é nutriente. Se nós não temos nutrientes, como é que se dá essa reação química no cérebro das crianças? Não pensa, não entende, não acompanha.
Então, olha, eu fico muito triste de ver nesta Casa populistas de plantão, como Jones Moura, que só vem aqui trabalhar para armar a Guarda; não vem aqui, inclusive, para lutar pelos direitos trabalhistas da mesma Guarda, que é comandada toda vez por um militar! Ele não questiona nunca essa hierarquia da PM dentro da Guarda Municipal. Não luta para que os grevistas sejam anistiados e nem para melhorar o ambiente de trabalho deles. E agora vem querer dizer que não precisa se preocupar com educação, porque lá está completo? Ora, bolas, no mínimo é uma demonstração cabal de desconhecer a realidade, ou o Vereador está interessado em outras questões, nada republicanas, que, talvez, ele que tenha de vir explicar aqui, para justificar essa atuação belicista. Não sei se ele é patrocinado pela Taurus; se ele ganha alguma... Não sei! Só vem fazer lobby de arma e falar contra a educação!
Nossos estudantes estão sem merenda! A maioria das escolas está em petição de miséria! Colocar mais armamento e Polícia Militar dentro das nossas escolas não é a solução para resolver os nossos problemas. As escolas não têm porteiro, sequer ronda, que é um belíssimo... Aliás, permita-me fazer um elogio à Guarda Municipal pela ronda escolar: é um belíssimo projeto e não precisa de arma. São pessoas capacitadas que fazem a ronda escolar. É uma grande demonstração de que, aliás, esse programa da Guarda Municipal deveria ser ampliado e divulgado. Este é o fator principal. Nós precisamos pagar melhor os professores. A verba de investimento, que de R$ 1 bilhão, caiu para R$ 26 milhões, é criminosa – criminosa! Então, fica aqui a minha denúncia com veemência, por mostrar que este governo não trabalha pelo futuro das próximas gerações, porque não investe um único centavo em nenhuma única sala de aula, Senhor Presidente.