SESSÃO - EXTRAORDINÁRIA
Pela Ordem




Texto

O SR. DR. GILBERTO – Presidente, nossa Casa está de parabéns. Estamos com uma alta produtividade de projetos, a maioria deles versando sobre o combate à pandemia, excetuando-se aqueles dois projetos, o recente de alteração de padrão urbanístico, onde temos algumas emendas aí que foram elaboradas para melhorar o projeto e viabilizará votação do mesmo, o outro projeto aqui dos administrativos, que também é de louvável mérito, mas todos eles voltados para o combate à pandemia.
O que ocorre, Presidente e senhores vereadores, é que, apesar das ótimas intenções, apesar dos méritos, muitos desses projetos possuem os mesmos objetivos e muitos chegam a ser obsoletos, considerando que, quando apresentados, já vigoravam decretos, leis e também muitas ações já impetradas pelos órgãos do Poder Executivo Municipal, Estadual e pelo Congresso Nacional. Então, em nossas Sessões Ordinárias, o grande problema que eu vejo é que cada uma exige uma confecção de nova Ordem do Dia pelo Presidente e pela Mesa Diretora.
Eu consultei até o Vereador Thiago K. Ribeiro, nosso Presidente da Comissão de Justiça e Redação, sobre a minha opinião e ele disse até que concorda. Então, eu deixo a seguinte pergunta para o senhor e para os colegas: Por que essas Sessões não retomam o rito ordinário normal, considerando que nós já evoluímos muito também nas Sessões Virtuais. Se, praticamente, estamos cumprindo boa parte dos direitos e deveres exarados aqui no nosso Regimento Interno, eu não vejo outro motivo para não voltar a Sessão Ordinária.
Com esta pauta semanal antecipada eu tenho certeza do seguinte: o Plenário terá mais autonomia, terá mais participação, teremos melhor conhecimento dos projetos, os pareceres das Comissões serão mais consistentes, todos teremos melhor opção e consciência na hora de votar e, caso apareça um projeto constitucional, não repetitivo, não obsoleto, considerando legislações e ações já existentes, aí sim o autor solicita uma urgência e o Plenário irá deliberar quanto à necessidade e quanto à motivação, caso a caso. Eu acho que aí seremos mais objetivos, mais produtivos e muito menos repetitivos. Sempre obedecendo, rigorosamente, o Regimento e não necessariamente alguns tratos factíveis de interpretações ou qualquer insubordinação do que foi tratado anteriormente ou junto com algumas lideranças. Nós temos vários projetos criados neste período que são excelentes mesmo, postergados por regras criadas ou que aguardam a vaga no sistema de regulação, observando a fila e não a sua qualidade. Então, eu faço esta indagação ao senhor, Presidente, à Mesa e a todos os colegas. É uma observação minha.
E, para finalizar aqui, eu gostaria de transmitir um fraterno abraço para nossa querida amiga Rosa Fernandes que está completando 52 anos...

A SRA. ROSA FERNANDES – Obrigada, meu amor. Não diga a idade. Eu estou pertinho de você, quase o mesmo top...

O SR. DR. GILBERTO – É uma pena a distância, e nós não podermos transmitir um abraço pessoalmente. E também...

O SR. LEONEL BRIZOLA – Parabéns, Vereadora Rosa Fernandes!

A SRA. ROSA FERNANDES – Vereador Dr. Gilberto, obrigada e eu gostaria muito de agradecer o carinho de todos que mandaram um monte de mensagens. Obrigada, obrigada.

O SR. DR. GILBERTO – E também, Presidente...

A SRA. ROSA FERNANDES – Lá vem o fofoqueiro de plantão querer saber com quem eu estou falando. Hoje, eu o deixei vir visitar.

O SR. DR. GILBERTO – Grande abraço, Pedrinho.

O SR. SECRETÁRIO PEDRO FERNANDES – Obrigado pelo carinho com a minha mãe, viu?

O SR. DR. GILBERTO – E também, Presidente, transmitir um fraterno abraço de consolo ao nosso amigo Vereador Dr. Jorge Manaia que sofreu uma perda irreparável. Infelizmente todos nós passamos por isto e que Deus tenha a mãezinha dele.
Parabéns, Vereadora Rosa Fernandes. Tire esse “cara” chato de perto de você e manda ele ir trabalhar.

A SRA. ROSA FERNANDES – Obrigada, querido. Obrigada, um beijo.

O SR. DR. GILBERTO – Obrigado, Presidente.