ORDEM DO DIA
Projeto De Lei 2097/2016



Texto da Ordem do Dia

O SR. PRESIDENTE (JORGE FELIPPE) - ANUNCIA-SE: EM TRAMITAÇÃO ORDINÁRIA, EM CONTINUAÇÃO DA 2ª DISCUSSÃO, QUÓRUM: MA, PROJETO DE LEI Nº 2097/2016 DE AUTORIA DO VEREADOR CARLO CAIADO, QUE "TOMBA, POR SEU VALOR HISTÓRICO, SOCIAL, CULTURAL E ESPORTIVO, O SÃO CRISTOVÃO DE FUTEBOL E REGATAS, LOCALIZADO NA RUA FIGUEIRA DE MELO, Nº 200, NO BAIRRO DE SÃO CRISTOVÃO."

* Incluído pelo Sr. Ver. Matheus Floriano.

(INTERROMPENDO A LEITURA)

O SR. ROCAL – Pela ordem, Senhor Presidente.

O SR. PRESIDENTE (JORGE FELIPPE) – Pela ordem, o nobre Vereador Rocal, que dispõe de três minutos.

O SR. ROCAL – Senhor Presidente, senhores vereadores, eu recebi, com bastante estranheza, um vídeo que vem circulando nas redes sociais da União dos Servidores das Guardas Civis Municipais do Rio de Janeiro, em que se divulga um áudio aqui da Câmara de Vereadores, e cita meu nome. Só que, nesse momento, eu estava exatamente ao lado do Vereador Leonel Brizola. Em outras palavras, se o projeto do Vereador Zico tivesse sido aprovado, eu iria pedir o VAR.
Eu até peço ao Vereador Jones Moura, que é o legítimo representante da Guarda Municipal, que possa esclarecer isso. Porque isso aqui é objeto de Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Informática. Porque citar um vereador; atribuir a ele falas em que, comprovadamente, no mesmo vídeo, aparece o Vereador Rocal sentado ao lado do Vereador Leonel Brizola, isso é inadmissível. Não vou aceitar isso.
Então, espero, aqui, Vereador Jones Moura, que Vossa Excelência possa falar sobre isso, porque eu desconheço essa União dos Servidores das Guardas Civis Municipais do Rio de Janeiro. E, ao mesmo tempo, que possa ter responsabilidade com o material divulgado. Isso aqui, eu não aceito! Isso aqui, eu não aceito! Isso aqui, eu não aceito!
Comprovadamente, o vídeo mostra o momento em que adentro ao Plenário e fico aqui na bancada, ao lado do Vereador Leonel Brizola. E ele coloca aqui como se o Vereador Rocal tivesse envolvido em alguma coisa; conspirando. E, diga-se de passagem, pelo que eu ouvi do áudio, não tem nada que não seja republicano.
Foi falada a questão do quórum – notadamente, não tinha quórum, na semana passada, para votar o projeto – e também em relação às emendas. Inclusive, eu tenho duas emendas para colocar no projeto – uma que fala da questão das 600 horas-aula, para capacitação; e a outra com relação à aposentadoria especial: que seja feita apenas no segundo ano após a aprovação da lei.
Então, não tem nada de mais. Da maneira como foi colocado, da maneira como foi feito, como foi viralizado esse vídeo na rede social, isso aí é um absurdo. Foi manipulado! Isso, eu não aceito!
Obrigado, Presidente.

O SR. JONES MOURA – Pela ordem, Senhor Presidente.

O SR. PRESIDENTE (JORGE FELIPPE) – Pela ordem, o Senhor Vereador Jones Moura, que dispõe de três minutos.

O SR. JONES MOURA – Obrigado, Presidente.
Eu quero dizer que corroboro com as palavras do Vereador Rocal. Nobre Vereador Rocal, compactuo com as suas palavras. Esse vídeo, inclusive, está viralizando. É comprovado que não foi o nobre Vereador Rocal que estava naquela conversa que apareceu no vídeo. Isso está comprovado. Deixando claro que esse vídeo tem uma vinheta, ele tem uma inicial. E os que chamam esse vídeo para si, que patrocinaram o vídeo, ou que fizeram o vídeo, ele começa com o nome de uma associação. Essa associação se apresenta como autora do vídeo. Está lá, logo no início do vídeo: Associação Pai de Guardas...
Eu quero deixar claro que todas as vezes em que você tem um grupo grande de pessoas que você representa, dali sempre surgem três, quatro ou cinco que querem não fazer o bem, mas querem se dar bem, entende? Então, eles estão tentando conturbar a situação, deturpar a situação toda. Eles querem intervir no meio político e eles fizeram toda aquela montagem daquele vídeo. Aquele vídeo, realmente, contorce todo o entendimento. Rocal, fique tranquilo: já fiz um vídeo de esclarecimento. Não era o nobre Vereador quem apareceu naquele vídeo. O vídeo realmente confunde a cabeça de muita gente. Mas a categoria de guardas municipais já entende muito bem. Até porque a categoria conhece quem são aqueles sete que criaram uma associação para tentar atrapalhar a boa construção da política dos guardas municipais. E nós não temos problema nenhum com isso.
Nós não somos conhecidos pelo que falam de nós. Nós somos conhecidos pelo nosso comportamento, pela nossa fala, pelos nossos atos. E é assim que nós somos conhecidos na Guarda Municipal e em todo lugar. Grupinho de três, quatro, sete que dizem assim: “Ah, ele é político, está se dando bem. Eu também quero me dar bem”. Ninguém está aqui porque quer se dar bem. Todos que estão aqui estão porque querem fazer o bem, têm uma história e por isso estão aqui. Assim, também, nós chegamos. E não vai ser esse grupinho aí que vai fazer videozinho, que vai deturpar conceitos, que vai atrapalhar alguma coisa, não.
E depois, Presidente, nosso projeto do armamento vai alcançar a pauta. Nós vamos utilizar a mesma estratégia que vínhamos utilizando há dois meses. Nós vamos fazer o adiamento desse projeto quando ele retornar à pauta. E quero aproveitar o momento, para não pegar muito tempo aqui no pela ordem: nós vamos explicar algumas questões que eu estou trazendo do Secretário de Ordem Pública, para a nossa Casa dar o relato sobre a questão de emendas, porque é isso que nos preocupou no dia da votação, e aí fechamos esse assunto.
Nobre Vereador Rocal, eu quero fazer um pedido para o senhor: o senhor disse que pretende, inclusive, pensar em processos, porque envolveu o seu nome. E o seu nome – desculpe lhe dizer – não pertence só mais ao senhor: representa milhares de pessoas também. Então, quando o senhor fizer qualquer ação ou processo, o senhor estará representando milhares de pessoas. Eu compactuo com o senhor e corroboro com a sua fala. O senhor deve, sim, processar em nome desses milhares de pessoas que o senhor representa, porque quem fez, fez de mau gosto. Inclusive, querendo me atingir, mas atingiu outros vereadores também. Compactuo com o senhor. Parabéns.

O SR. PRESIDENTE (JORGE FELIPPE) – Em discussão.
Não havendo quem queira discutir, encerrada a discussão.
Em votação.
Os terminais de votação encontram-se liberados.
(Os senhores vereadores registram os seus votos)

O SR. PRESIDENTE (JORGE FELIPPE) – Como vota a nobre Vereadora Luciana Novaes?

A SRA. LUCIANA NOVAES – Sim.

O SR. PRESIDENTE (JORGE FELIPPE) – Consignando os votos dos Senhores Vereadores Luciana Novaes, SIM; Marcelo Arar, SIM; Alexandre Arraes, SIM; Wellington Dias, SIM; Reimont, SIM; e Paulo Pinheiro, SIM. Está encerrada a votação.

(Concluída a votação nominal, constata-se que votaram SIM os Senhores Vereadores Alexandre Arraes, Alexandre Isquierdo, Átila A. Nunes, Babá, Carlos Bolsonaro, Cesar Maia, Dr. Carlos Eduardo, Dr. Jairinho, Dr. João Ricardo, Dr. Jorge Manaia, Dr. Marcos Paulo, Eliseu Kessler, Fátima da Solidariedade, Fernando William, Italo Ciba, Jair da Mendes Gomes, Jones Moura, Jorge Felippe, Leandro Lyra, Leonel Brizola, Luciana Novaes, Luiz Carlos Ramos Filho, Major Elitusalem, Marcelino D' Almeida, Marcello Siciliano, Marcelo Arar, Matheus Floriano, Paulo Messina, Paulo Pinheiro, Petra, Prof. Célio Lupparelli, Rafael Aloisio Freitas, Reimont, Rocal, Rosa Fernandes, Tarcísio Motta, Teresa Bergher, Thiago K. Ribeiro, Welington Dias, Willian Coelho e Zico Bacana 41 (quarenta e um); não havendo voto contrário. Presentes e votando 41 (quarenta e um) senhores vereadores)

O SR. PRESIDENTE (JORGE FELIPPE) – Presentes e votando SIM 41 (quarenta e um) senhores vereadores.
O Projeto de Lei nº 2097/2016 está aprovado.
Dispensada a redação final, segue a autógrafo.

O SR. MARCELINO D’ALMEIDA – Para declaração de voto, Presidente.

O SR. PRESIDENTE (JORGE FELIPPE) – Para declaração de voto, o nobre Vereador Marcelino D’Almeida, que dispõe de três minutos.

O SR. MARCELINO D’ALMEIDA – Presidente, um dos projetos do maravilhoso Campo do São Cristóvão, mas eu não sei se tem essa lei, mas esses garotos que hoje são estrelas do futebol passam pelos clubes pequenos e um deles foi o Ronaldo Fenômeno, que passou pelo São Cristóvão e foi incapaz de ajudar o clube a crescer.
Então, não sei se a lei tem que ser federal ou municipal, mas essa garotada que passa primeiro por esses clubes pequenos teria a obrigação de ajudar os clubes, porque eles crescem ali, apanham o profissionalismo do clube – depois, sai e o clube fica praticamente sem nada.
Era isso, Senhor Presidente, obrigado.