SESSÃO - EXTRAORDINÁRIA
Pela Ordem




Texto

O SR. DR. MARCOS PAULO – Senhor Presidente, senhoras e senhores vereadores, todos e todas que estão nos assistindo pela Rio TV Câmara, pela internet, boa tarde.
Eu trouxe aqui, no ano passado, informações sobre a necessidade de vacinação contra a raiva, um grande risco que, neste ano, nós também corremos, de não haver a vacinação. Isso é uma tragédia anunciada, para que animais e pessoas estejam com sua vida em risco, e possam estar… da vacinação.
Diante disso, eu entrei com uma representação no Ministério Público Federal e no Ministério Público Estadual. E a gente espera que a Prefeitura do Rio de Janeiro, junto com o Estado do Rio de Janeiro e a União, promova essa vacinação.
Isso é algo que nos preocupa muito, principalmente em relação aos nossos animais de estimação e à população do Município e do Estado do Rio de Janeiro.
Outra questão que eu trago aqui, Senhor Presidente, e que eu repudio, foi a forma truculenta com que o programa Segurança Presente e alguns funcionários da Comlurb conduziram a situação de abordagem a moradores em situação de rua, no Centro da cidade, retirando pertences, como cobertores e, até mesmo, documentos desses moradores em situação de rua. Isso é inaceitável! Até porque, se o morador não quiser ir, é um direito dele continuar nas ruas. Aqueles que têm como companheiro um animal de estimação não têm para onde levar seu animalzinho.
Em função disso, eu e o Vereador Reimont criamos um projeto de lei para que o morador em situação de rua seja abrigado junto com o seu companheiro, junto com o seu animal de estimação. Eu colocarei no grupo e pedirei apoiamento – também está aberta a coautoria desse projeto de lei – para que a gente possa, sim, ter o acolhimento conjunto do animal, que é o companheiro do morador em situação de rua.
Se o morador aceitar ir, nós teremos um segundo problema, que é realmente a questão do abandono. E o abandono, no nosso município e no nosso estado, infelizmente, aumentou muito neste período de pandemia, e a gente não quer contribuir para isso. Ao contrário, nós queremos, sim, que a população se sinta acolhida e que os moradores em situação de rua possam se dirigir ao abrigo juntamente com seu animalzinho de estimação.
Então, eu solicito às senhoras e aos senhores vereadores que possam nos apoiar. E, como eu falei, o projeto de lei é de coautoria do Vereador Reimont e está aberto para todo e qualquer vereador que também queira ser autor deste projeto.
Eu entendo que é um projeto de extrema necessidade e que a gente precisa olhar para o morador em situação de rua com olhos bem atentos, e que a gente veja, principalmente agora, num período frio do ano, no inverno, a situação é muito pior, e viver na rua é muito difícil.
Por isso, a gente solicita que os nobres vereadores apoiem esse projeto; que votem a favor, para que a gente possa fazer justiça com essas pessoas menos favorecidas, que passam, realmente, por uma situação muito difícil. Que elas possam ser abrigadas conjuntamente com o seu animal de estimação. Porque, neste momento em que toda a sociedade, a família, os amigos... todos viraram as costas para o morador em situação de rua, ele tenha ali o seu fiel companheiro.
O animal, além de ser o apoio psicológico dele, é o seu defensor, porque na situação de extrema violência em que nós vivemos na Cidade e no Estado do Rio de Janeiro, em uma situação em que o morador possa ser agredido, atacado, o animalzinho funciona como um defensor. Ele late, avisando o perigo, defende o seu tutor.
É isso que a gente aguarda e espera da Prefeitura do Rio de Janeiro: que a gente tenha o abrigamento conjunto do morador em situação de rua com seu animalzinho de estimação. Muito obrigado. Uma boa tarde a todos.